12 de setembro de 2014

Restauro Científico

Restauro Científico

  • Surgiu na primeira metade do seculo XX
  • Gustavo Giovanonni, arquiteto, engenheiro e historiador de arte foi quem defendeu estas teorias e um dos mais importantes intervenientes na Conferência de Atenas de 1931 e da qual resultou a Carta de Atenas.
  • Foi uma reelaboração do Restauro Moderno e que qualquer restauro deverá ser sempre executado em ultimo caso.
  • Sempre documentado e identificado para que se diferencie do original. 
  • Prega a necessidade de tornar a restauração um ato científico, que seguisse princípios e métodos cientificamente determinados.
  • Seus projetos devem baseados em estudos rigorosos com atenção maior ao valor documental e histórico do que ao valor artístico e estético.
  • Aceita tecnologias modernas quando necessário e solicita um planejamento urbano com ênfase nos centros históricos e seus valores.
  • é uma operação que se limita a consolidar, recompor, valorizar os traços remanescentes de um monumento.
  • Problema: sua excessiva preocupação com os aspectos históricos e seu valor documental passou a ser um problema no pós guerra, pois tornava a tarefa de restauro muito engessada, era preciso então um método onde cada caso deveria ser analisado de forma crítica, constituindo uma realidade em si e não podendo ser enquadrado em modelos pré estabelecidos. 
Gustavo Giovannoni - 1873/1947

Gustavo Giovannoni, foi:

  • Um dos mais importantes intervenientes da Conferência de Atenas de 1931, da qual surgiu o primeiro documento internacional publicado no sentido de considerar universais certas regras de protecção e salvaguarda de monumentos: a Carta de Atenas. 
  • contra os acrescentos a que chama de "restauro de inovação" - caso os acrescentos sejam absolutamente necessários, estes deverão ser identificados e datados, através da utilização de novos materiais que se adaptem harmoniosamente aos originais. No entanto os complementos que se sobrepuseram no edifício devem ser respeitados e identificados, podendo ser removidas as partes sem valor que com a sua remoção não afetem o edifício.
  • Especial preocupação com as estruturas, com os materiais utilizados na construção e com as técnicas construtivas, devido talvez à sua formação na área da engenharia. Defende por isso o recurso a técnicas modernas, inclusive a utilização de betão armado, em intervenções de consolidação, reparação e reforço do edifício, de modo a aumentar a resistência da construção.
Nota sobre Restauro Moderno:
  • Os monumentos eram considerados como documentos da história da humanidade.
  • Prioriza-se a sua conservação e manutenção
  • O restauro, só em ultimo caso.
  • Ser amplamente documentado, deixando marcas dessa intervenção para que não se confunda com o edificio primitivo e que não alterem o equilibrio da composição.
  • Os princípios do restauro moderno nortearam a escola italiana de restauro consolidada em 1883 na “Carta de Restauração”, de grande influência nos documentos internacionais posteriores